Qualidade motiva compras para bebés

alt

Quando fazem compras para os bebés, os portugueses preferem a qualidade acima do preço, da duração do produto ou do aspeto do mesmo. Esta é uma das conclusões do estudo do estudo do Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM) que analisou os hábitos de consumo da população relativamente a roupa, calçado e biberões para crianças até aos três anos.

O trabalho foi desenvolvido com o objetivo de descobrir se na compra de produtos para bebé a qualidade constitui um fator decisivo, sobretudo em contextos socioeconómicos menos favoráveis, relacionados com a diminuição do orçamento familiar. E a resposta é um sólido “sim”, já que a qualidade motiva 73,8 por cento das aquisições, o preço 11,9, a durabilidade 7,1 e o design 4,2 por cento.

Quanto ao valor de compras, os dados apurados pelo IPAM indicam que a maioria dos portugueses gasta o máximo de 10 e 30 euros mensais no consumo de roupa, calçado ou biberões. Apenas cerca de 15 por cento dos consumidores destes artigos despende um valor mensal superior a 60 euros.

Para Marta Bicho, professora do IPAM e coordenadora do projeto, “o desenvolvimento deste estudo foi importante para caracterizar o consumidor português em relação a produtos infantis e realçar que, apesar da adaptação do seu comportamento a situações de crise, as exigências de atributos como a qualidade e o conforto continuam a ser valorizados para esta população em detrimento de fatores económicos”.


Leia também:

Bebés de hoje vão viver até depois dos 100

Exposição química pode afetar desenvolvimento mental

Mais de 7% das crianças fazem chichi na cama

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Editorial.

editorial-319

alt

Vamos para a rua!

O recado ficou na porta do quarto: “Não me acordem. Deitei-me tarde e gosto de dormir de...

Consultório

 "O meu filho, que fez recentemente quatro anos, vive intensamente esta altura do ano. Ainda acredita no Pai Natal e acha que é ele quem lhe traz as prendas. Ainda...

Leia Mais