Mergulhos felizes

alt

Com a chegada do tempo quente, chegam também os dias passados à beira da água e as piscinas são dos locais mais desejados. No entanto, no que respeita aos mais novos, há que adotar algumas medidas, para garantir mergulhos em segurança.

A Cruz Vermelha Internacional acaba de divulgar seis princípios básicos de segurança na utilização de piscinas e equipamentos equivalentes – como, por exemplo, banheiras de jacuzzi – especialmente dirigidos às crianças. São eles:

1 – A piscina deve ser protegida por uma vedação com, pelo menos, 1,2 metros de altura, com cancelas que se fechem automaticamente. Equipamentos como escadas, rampas e insufláveis devem ser guardadas quando não estão a ser utilizadas;

2 – Qualquer adulto deve estar sempre a um braço ou menos de distância das crianças na piscina;

3 – Todas as crianças que não saibam nadar devem ser acompanhadas em permanência e usar coletes de flutuação. As habituais braçadeiras não são recomendadas, pois podem escorregar do antebraço;

4 – Os adultos com responsabilidades de supervisão devem ser nadadores competentes e, de preferência, obterem formação sobre manobras de primeiros-socorros e reanimação;

5 – A piscina deve ser mantida em boas condições de higiene e equilíbrio químico, para evitar turvação na água;

6 – É importante que todas as crianças conheçam as regras de utilização da piscina e que sejam penalizadas – por exemplo, perdendo o direito aos mergulhos durante um tempo pré-determinado – se não as cumprirem.

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Editorial.

editorial-317

alt

Um dia a repetir

Acontece todos os anos por esta altura. Sob pretexto de assinalar o Dia Internacional da Criança, recordam-se direitos...

Consultório

 "O meu filho, que fez recentemente quatro anos, vive intensamente esta altura do ano. Ainda acredita no Pai Natal e acha que é ele quem lhe traz as prendas. Ainda...

Leia Mais